sábado, 11 de julho de 2015

Amanhã...


Estou deitada pensando...
A vida é tão efêmera, tão inconstante, tão imprevisível, e com um final tão conhecido por todos.

Seu cheiro está no meu lençol, no meu travesseiro, em mim. Parece que tudo aconteceu com a duração de um segundo e a anos atrás. Momentos assim deveriam durar a vida toda.

Meu avô passou por mais uma cirurgia, está fragilizado, velho, machucado, cansado. Parece que demorou uma eternidade. Está demorando uma eternidade. Esse momento jamais deveria acontecer.

E amanhã? O que será?

"Não deixe nada pra depois
Não deixe o tempo passar.
Não deixe nada pra semana que vem
Porque semana que vem pode nem chegar".

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Caixa do nada...

Todo dia eu saio de casa com muitos planos na cabeça.
Todo dia eu chego em casa com nenhum plano na cabeça, e fico à noite toda na caixa do nada.