domingo, 29 de maio de 2011

Falta um pedaço do meu cérebro?

Por esses dias tenho tido sonhos um tanto interessantes.
Sim... interessantes, pois parecem cena de ficção científica ou de fábulas de conto de fadas.

A boca era isso com dentes.

Um dia desses sonhei com uma boca enorme, do tamanho de um estádio de futebol... a boca de um monstro... dentro dela era um tornado... e ao redor tinha dentes enormes e pontiagudos... e essa boca engolia tudo... tudo mesmo... rua, carros, árvores, casas e pessoas... e eu estava correndo na rua, junto com outras pessoas tentando sobreviver.
Não acordei assustada nem nada. Na verdade achei um sonho bastante curioso.

Exatamente essa!
Essa noite sonhei com uma aranha colorida... bem grande e peluda... azul e vermelha... linda... e essa aranha era minha amiga. E ela tinha uma particularidade: se transformava no que eu queria. Por exemplo, quando alguém se aproximava da gente, ela se transformava em uma meia... ou se camuflava no arbusto. Bem legal!

No sonho elas estavam em vasos individuas.
Sonhei ainda com flores... pequenas e coloridas... flores em vasos... que também eram minhas amigas e eram animadas (também no sentido de alegria, mas na verdade no sentido de movimento). Elas pulavam para mudar de lugar... e eram minhas espiãs rs... se escondiam nos cantos da minha faculdade para inverstigar por mim hahahaha. Adorei esse sonho.

Mas você, caro leitor, deve estar se perguntando o por quê desse título.

Bom... se você já leu alguns dos meus posts anteriores, viu que eu tenho uma tendência um tanto melancólica.
Esses dias estava pensando em algumas coisas que me fazem crer que sou um ser muito esquisito.

Quando era criança, e minha casa estava em obra, eu subia na laje ainda sem telhado e ficava olhando pro chão, sentindo uma força muito estranha me puxando pra baixo... não chegava a ser uma voz... mas, mais um pensamento, dizendo: pula!.
Quando percebi isso, parei de ir na laje.

Isso acontecia também quando eu pegava uma faca... um pensamento surgia dizendo: enfia na barriga!

Com o tempo esse da faca parou.

Mais pra frente, nos dias atuais, sinto isso no metrô. Não posso ficar na beira da plataforma pois sinto o mesmo pensamento (sentir pensamento é estranho, mas pensar pensamento é pior ainda) de pular.
Evito ficar na borda.

Tudo isso não passa de pensamentos que rondam minha cabeça em alguns momentos, mas eu juro que tenho medo. Medo de algum dia eu não ter mais o controle sobre mim. Medo de eu ter algum distúrbio mental.

Um professor de Saúde Mental na faculdade sempre dizia que a única diferença entre nós, ditos "normais" e os loucos asilados é que nós temos a chave do nosso hospício.

Entendeu o título agora?

domingo, 8 de maio de 2011

27...

Amanhã completo 27 anos... quase 30...
Paro... olho para minha vida hoje... nada do que planejei há pelo menos 10 anos.
O que fiz da minha vida? Que caminhos segui para chegar aqui? Uma vida longe, muito longe do que almejei.
Uma vida de solidão... de perrengue... de lutas diárias... uma vida totalmente sem graça... que não me enche nem um pouco de orgulho... muito menos de esperança.
Por tantas vezes desejei morrer ao longo desses quase 27 anos que já perdi a conta.
Hoje o dia não é diferente.
A poucas hora de completar 27 anos... e estou aqui... escrevendo em meu blog... ouvindo uma banda canadense de folk no repeat e.. chorando.

Chorando por tudo que sou... por tudo que não sou.
Chorando por não ter esperanças.
Chorando por estar aqui sozinha.
Chorando por saber que amanhã irei trabalhar e chegarei em casa e estarei sozinha.
Chorando por saber que amanhã será dia 9 de maio de 2011 e estarei sozinha.
Chorando... compulsivamente.

O touro quando desmorona é porque a ferida é grave.

Feliz aniversário para mim.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

...

Me sentindo meio largada hoje, deixada de mão,

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Quando acaba?

Recebi um texto hoje por e-mail.
Um texto bem interessante e inteligente do Arnaldo Jabor, que me fez refletir sobre algumas coisas... e lamentar sobre outras. Mas (in)felizmente o texto é verdadeiro.

Segue:

Quando acaba...

Sempre acho que namoro, casamento, romance, tem começo, meio e fim.
 
(bom, eu sempre acredito que vai durar para sempre... sempre quebrei a cara com isso... mas continuo com essa esperança)

Como tudo na vida. Detesto quando escuto aquela conversa:
- Ah,terminei o namoro...
- Nossa, estavam juntos há tanto tempo.....
- Cinco anos....que pena....acabou....
- é...não deu certo...
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.

(eu acredito nos dois)

Às vezes você não consegue nem dar 100% de você para você mesmo, como cobrar 100% do outro?

(isso é uma verdade... pena que é um pensamento racional demais... e como todo pensamento muito racional, normalmente só o temos quando estamos [leia-se eu] só, quando não estamos [leia-se eu novamente] em um relacionamento)

E não temos essa coisa completa.
Às vezes ela é fiel, mas é devagar na cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é muito bonita, mas não é sensível.
Tudo junto, não vamos encontrar.

(mas desejamos arduamente, com toda nossa força e esperamos por isso a vida inteira: encontrar o ser perfeito)

Perceba qual o aspecto mais importante para você e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
(concordo plenamente)

E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante...e se o beijo bate...se joga...se não bate...mais um Martini, por favor...e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não brigue, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvidas, problema dela, cabe a você esperar.... ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob pressão?
O legal é alguém que está com você, só por você.
E vice versa.
 
(concordo plenamente, absolutamente com isso... mas admito que algumas coisas são muito dolorosas)

Não fique com alguém por pena.
Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói...
Muitas vezes você vai sentir raiva, ciúmes, ódio, frustração.....
Faz parte. Você convive com outro ser, um outro mundo, um outro universo.
E nem sempre as coisas são como você gostaria que fosse....

(novamente, concordo)

A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal você não é terapeuta.

(eu sou ^^)

Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
E nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar.... Ou se culpar.....
Enfim...quem disse que ser adulto é fácil ?????

Arnaldo Jabor


Todo mundo precisa de uma crença para sobreviver... para se agarrar nos momentos difíceis, nos momentos de solidão, nos momentos de tristeza. Eu me agarro na crença do amor. Preciso acreditar no amor infinito, no amor até o fim da vida, no amor que tranforma você na pessoa mais importante pro outro, e o outro na pessoa mais importante pra você. Acredito no amor onde você não consegue sobreviver sem aquela pessoa. Sei que é um erro, mas acredito. E sei que vou morrer acreditando em tudo isso. Mesmo que no fim eu descubra que é tudo uma ilusão.

domingo, 1 de maio de 2011

Agradecimentos e ...

Recebi comentários de pessoas que leram o blog e se identificaram com ele... fico feliz por ter leitores ^^
Não sei se fico feliz por vocês se identificarem com ele, afinal escrevo muitas coisas tristes.
Enfim... agradeço aos meus leitores por aceitarem esse meu compartilhamento de sentimentos, idéias, tristezas, alegrias e, às vezes, informações inúteis rs.

Bom... hoje vou falar de algo que todos nós pensamos, desejamos, e que nossos pais, na verdade nossas mães e somente elas acham rs.
Vou falar no singular e cada um interprete essa frase pra si: Que eu sou a pessoa mais importante e especial do mundo.

Bom, como disse, nossas mães falam isso o tempo todo quando somos crianças. A frequência diminui em "progressão" geométrica por ano de vida. Ou seja, quando adulto, você se transforma num: perdedor, vagabundo, fracassado, frustrado, etc.

Mas ainda assim queremos acreditar que um dia alguém irá nos ver como o ser mais especial e indispensável da face da terra. Isso até acontece, por alguns dias, semanas, meses no máximo. Depois voltamos a ser a pessoa medíocre de sempre.

Há ainda aqueles que acreditam sim que são especiais para os seus cachorros e gatos. Eu mesma tenho uma gata e acho isso. Mentira! Não acho não. Sei que ela só me tolera pois dou abrigo, comida e água para ela.

Mas a esperança é a última que morre... e vamos morrer acreditando que somos a mulher maravilha ou super homem de alguém. Mentira viu... desculpe te avisar.

Adoro escrever quando estou de péssimo humor!!