segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Luis Miguel Nava

Luis Miguel Nava nasceu em 1957, em Viseu, Portugal. Licenciou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa. Partiu depois para Oxford, como leitor de Português. Fixou-se em Bruxelas desde 1986. Nesta cidade, no seu apartamento, foi brutalmente assassinado em 1995 por um dos seus supostos namorados.






Sem outro intuito

Atirávamos pedras
à água para o silêncio vir à tona.
O mundo, que os sentidos tonificam,
surgia-nos então todo enterrado
na nossa própria carne, envolto
por vezes em ferozes transparências
que as pedras acirravam
sem outro intuito além do de extraírem
às águas o silêncio que as unia.

Poesia... poesia...

Sempre gostei de poesia... escrevia na época de escola (poemas horrorosos por sinal rs)... mas fiquei afastada dela por causa de uma situação (odeio ser forçada a fazer algo sem estar com vontade... acaba me afastando daquilo) e agora estou tomando o gosto novamente.

Encontrei poetas maravilhosos... a maioria português...alguns brasileiros... passei a ler Fernando Pessoa, poeta que nunca dei muita trela por já ser meio batido... mas ele é fantástico! Passei a ler Cecília Meireles... poeta que nunca gostei muito... Florbela Espanca, ela é fantástica!! Hilda Hilst com seu vocabulário desaforado. Enfim... vários outros.... Já coloquei alguns poemas aqui de Luis Miguel Nava, Eugênio de Andrade, Ruy Belo, Daniel-Maia Pinto Rodrigues...

A partir de hoje, irei fazer uma seleção dos poemas que mais gosto e colocarei aqui, um por dia... quero compartilhar essa maravilha que é a poesia.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Nuvem negra...

Sempre falo que sou naturalmente melancólica...
Não gosto de ser quem eu sou... não gosto.
Não gosto do meu jeito... não gosto dos meus pensamentos... não gosto das minhas chatices...
O que mais me irrita em mim é saber tudo o que eu tenho que melhorar e não conseguir melhorar... não conseguir mudar essas coisas em mim.

Sempre falo que sou uma velha... e sou mesmo.
Estou sempre reclamando de algo... sou super pessimista com as minhas coisas e comigo... só comigo.
Se algo ruim acontece com você, eu digo que é por alguma razão que no fim será bom pra você. Mas se algo ruim acontece comigo... eu xingo o céu e a terra... acho que sou o ser mais azarado do mundo...

Sinceramente... têm momentos que não entendo porque as pessoas gostam de mim...
Têm momentos que só vejo meus defeitos.... apenas isso...
Sou insegura, medrosa, preguiçosa, reclamo de tudo mas não faço nada pra mudar, acho que quem me ama vai deixar de me amar, sou gorda mas não faço nada pra emagrecer, sou um saco, um verdadeiro saco, uma mala sem alça.

Nesses momentos... parece que paira uma nuvem negra sobre a minha cabeça...
Nesse momento tem uma nuvem negra sobre a minha cabeça...

"(...)
Eu estou ilhada
Hoje não ligo a TV
Nem mesmo pra ver o Jô
Não vou sair
Se ligarem não estou
A manhã que vem
Nem bom dia eu vou dar
Se chegar alguém
A me pedir um favor
Eu não sei
Tá difícil ser eu
Sem reclamar de tudo
Passa nuvem negra
Larga o dia
(...)"

Nuvem negra, by Djavan

domingo, 12 de setembro de 2010

Quem é e quem não é no The L Word...

Pra quem quer saber quem realmente é gay do seriado The L Word.

 HETERO - Jennifer Beals
 Quando perguntada sobre seu status de relacionamento, Jennifer Beals normalmente responde: "Eu sou casada com um homem." Historicamente, Beals foi casada duas vezes, com Alexandre Rockwell (foram casados por dez anos e separaram em 1996), e  Atualmente casada com o Ken Dixon. Beals e Dixon têm uma filha juntos, e Beals é uma madrasta de dois filhos de Dixon de um casamento anterior.

BI - Laurel Holloman
  Laurel Holloman se identifica como bissexual. Como sua personagem Tina, Laurel foi pra frente e para trás entre ter relações com homens e mulheres. Holloman é casada desde 2002 com Paul Macherey, e eles têm uma filha, Lola. Lola foi destaque no útero na 2 ª temporada de The L Word quando Tina estava grávida.

HETERO - Pam Grier
Pam Grier é hetero. Ela tem uma história amorosa muito interessante, tendo namorado o grande jogador de basquete  Kareem Abdul-Jabbar, o ator/comediantes Richard Pryor e Freddie Prinze na década de 1970. Em 1998, ela estava envolvida com o executivo musical Kevin Evans, mas o relacionamento terminou em 1999.
GAY - Leisha Hailey
Embora ela seja bissexual em The L Word, Leisha Hailey é gay.
Nascida em Okinawa, Japão de pais norte-americanos, Hailey cresceu em Bellevue, Nebraska e frequentou a escola Bellevue West High School. Ela se assumiu lésbica antes de se mudar para Nova York para frequentar a Academia Americana de Artes Dramáticas (em inglês, American Academy of Dramatic Arts), onde se formou em 1991.

DESCONHECIDO - Mia Kirshner 
Ela não disse que é hetero, nem homo, nem bi... Ela simplesmente não comenta sobre... e toda vez que perguntado ela faz divagações do tipo... Por que a sexualidade de alguém é tão importante? Então... acho que é bi.


HETERO - Marlee Matlin
Matlin casou-se com Kevin Grandalski em 1993, e eles têm quatro filhos.
Quando perguntada pela TV Tattler sobe sua personagem, Marlee respondeu: "Eu aprendi muita coisa, mas nada me surpreendeu, porque eu cresci com um irmão que é gay e entendi o isolamento que ele enfrentou. Mas os meus pais sempre foram favoráveis em seu desde o primeiro dia. Mas é incrível como as pessoas tomam tempo fora de suas vidas para humilhar e denegrir as escolhas das pessoas. Eu ainda não entendo."


DESCONHECIDO - Katherine Moennig
Bom, ela também não fala sobre sua vida sexual. Não é casada, não diz que é hetero, nem gay, nem bi.
"Nós [os atores] queremos manter a vida pessoal sagrada, porque é o que há de mais importante no final do dia." Mas na boa... ninguém hetero faria o papel da Shane tão bem assim né ¬¬


HETERO - Rose Rollins
"Eu sou hétero", Rose Rollins, disse quando questionada sobre sua orientação sexual em uma entrevista com Fevereiro2007 AfterEllen.com. Ela fez o comentário de que ela gosta de fazer personagem mais durão, pois ela é uma moleca no coração e não gosta de fazer a "menina sexy."
Hum... sei... ¬¬


HETERO - Rachel Shelley
Em entrevista à In the Life, Rachel Shelley disse, "Como uma mulher hetero, interpretar um personagem gay,  é muito interessante como as outras pessoas reagem a você." Ela também mencionou a sua decepção com seus amigos do sexo masculino que ficaram excitados porque ela estaria fazendo cenas de amor com mulheres. "Isso é obviamente o que The L Word é contra."

GAY - Daniela Sea
Daniela Mar foi criada por um pai gay em uma família liberal. Quando perguntada se era gay, Daniela disse um monte de bla bla bla, que no final diz que ela é lésbica rs...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Gay é promíscuo?


É muito comum ouvir por aí as pessoas falarem que homossexualismo é promiscuidade.
Assim como no mundo hetero, no mundo gay existe muito disso sim. Tenho que concordar que até mais.
É difícil você encontrar casais gays com mais de 2 anos de relacionamento... é mais comum nos casais lésbicos... nos gays mesmo, eu não conheci nenhum casal que esteja até hoje.
E li um post num blog que diz o contrário disso:

"Dois estudos de janeiro de 2008, jogam por terra o mito de que casais homossexuais são mais sujeitos a promiscuidade. Acho que isso tem a ver com o fato de gays serem mais verdadeiros consigo mesmo. Se a pessoa não esta satisfeita com seu relacionamento, ou "ficante", porque continuar? Porque insistir em algo que não vai bem, ou não te trás alegria? Afinal de contas; qual o objetivo de se relacionar afetivamente com alguém? Se uma pessoa pode optar por ser feliz, porque não fazê-lo? Porque se obrigar a ser infeliz? Para obedecer regras morais impostas pela sociedade? Ah fala sério!"

Fonte: http://nossostons.blogspot.com/

Primeiro... quais estudos???? Segundo, promiscuidade não é ter 10 namorados(as) num período de um mês... mas é ter um(a) namorado(a) e ficar com outras pessoas. Terceiro, trás é advérbio de lugar (ele saiu de trás do carro), nesse caso o traz é do verbo trazer, então é com Z e sem acento.

Tenho algumas amigas e conhecidas onde relacionamento é algo banal, sem compromisso e sem amor... tem gente que enche a boca pra dizer que namora há 1 ano... daí logo em seguida diz que "vai dar um perdido" na namorada pra ficar com uma "fulaninha" aí qualquer. E sai pegando geral!!! Com meus amigos gays a mesma coisa... já ouvi falarem que não podem sair, ir pra boate porque a tentação é grande! Pô, perai né!!! Um bando de animal no cio???

Já parei pra pensar em várias teorias para essa falta de compromisso... não consegui chegar à nenhuma conclusão... já pensei que, pelo fato de não haver procriação, ninguém tem medo de sair transando com um monte de gente por aí... já pensei também que, pelo fato da relação homo não ser reconhecida legamente no país, as pessoas não levam a sério... sei lá... já pensei num monte de coisas.

Eu nunca fui disso... nunca fui de pegação... sair na noite pra pegar garota, ficar saindo com várias garotas ao mesmo tempo... não é papo de puritana nem santa não, eu que realmente nunca gostei... não vou dizer aqui que nunca traí... infelizmente já... duas namoradas... uma, me arrependi amargamente e contei no mesmo dia... a outra era uma vagabunda, então mereceu!
Sempre preferi manter relacionamentos sólidos e longos... claro que nem todos foram assim... mas sempre gostei de namorar... não gosto de sexo sem afeto.

Meu desejo mesmo é constituir família... parece careta... mas é verdade. Quero casar, ter filhos, montar uma família... ter minha casa, minha esposa... enfim... e fazer esse relacionamento ser respeitado.

Encontrei uma pessoa que compartilha o mesmo desejo que o meu... e, apesar de estarmos juntas a tão pouco tempo... eu já a amo absurdamente...
Como eu li num dos blogs que sigo... 1 mês de relacionamento lésbico corresponde a 7 meses de um relacionamento hetero ^^
Então amor... com 2 meses de namoro a gente já pode casar!!!

E povo, vamos pensar um pouquinho... se sabe que não consegue ficar sem beijar em bocas diferentes (estou usando eufemismo tá), pra quer fingir e assumir compromisso com pessoas que realmente querem algo sério? 

P.S: Te amo minha Pimentinha!

sábado, 4 de setembro de 2010

Abram seus olhos! Nesse caso, óleos!!

Hoje assisti a um absurdo!!!
Como as pessoas se deixam enganar por isso??
Entrando num dos blog que sigo, assisti ao seguinte vídeo:



Não aguentei... entrei no site e enviei o seguinte e-mail:

Boa tarde.

Gostaria de saber a justificativa para um pequeno vidro de óleo ungido custar R$300,00.

Vamos calcular:
500 ml de azeite de oliva extra-virgem custa em média R$7,00.
Acredito que nesse vidro não tenha nem 30 ml, então custaria em média R$0,42.
Um vidro para colocar o óleo, deve custar em torno de R$1,00, no máximo.
Preço do sedex, pelo tamanho do produto, custaria R$25,00, no máximo.
Totalizando: R$26,42.

Os outros R$273,58 é referente ao preço que o Espírito Santo cobra para ungir o óleo?

Porque, inclusive, não é o pastor ou bispo que unge nada... e sim o Espírito Santo.

Gostaria de uma explicação plausível para tal absurdo!!

Atenciosamente,

Luana Nogueira

Eu juro que dá vontade de jogar um bomba nesses lugares!!!!!

Segue abaixo a transcrição do que o pastor (ou sei lá o que) fala no vídeo:

Eu sei que às vezes você pode estar passando por problemas financeiros.
Eu sei que às vezes você pode estar passando por problemas psicológicos porque os teus amigos te abandonaram.
Eu sei que às vezes você pode estar como Jó: nas cinzas, "abusando" do pedaço de um caco de telha para aplacar a ira do câncer que "carcome" a sua alma, da lepra que "carcome" o seu espírito.
Mas eu vou te dar uma palavra de fé hoje: que se você conseguir se "levantar-se" das cinzas e não olhar mais para a sua aparência que está toda "combalida", para a sua pele que está toda destruída, e deixar o caco de telha de lado e ergues suas mãos cansadas para o céu e gritas: Eu sei que o meu redentor vive. Eu prrrrofetizo que quando passares o óleo a sua pela estará curada, todo o fedor que veio por causa dos erros será extirpado da sua vida.
E depois de hoje aqueles que insistiam em te olhar de cima pra baixo, pisando em cima de ti e dos teus sonhos, se quiserem te enxergar amanhã, terão que comprar um par de binóculos potentes porque você vai voar e vai voar com os campeões. Você é um campeão e ponto final!

Discurso sobre ciúmes...

Ciúme é "a reação complexa a uma ameaça perceptível a uma relação valiosa ou à sua qualidade." Esse sentimento apresenta caráter instintivo e natural, sendo também marcado pelo medo, real ou irreal, de se perder o amor da pessoa amada.

O ciúme, em princípio, é um sentimento tão natural ao ser humano como o tédio e a raiva.
Nos relacionamentos onde os sentimentos de ciúme são moderados e ocasionais, ele lembra ao casal que um não deve considerar o outro como definitivamente conquistado. Pode encorajar casais a fazer com que se apreciem mutuamente e façam um esforço consciente para assegurar que o parceiro se sinta valorizado.

Às vezes sentimentos de ciúme podem ficar desproporcionais. Por exemplo, quando um homem provoca uma cena embaraçosa numa festa porque sua mulher aceita um convite para dançar com um velho amigo ou quando uma mulher é tomada de ciúmes excessivos pelo fato de o marido ter uma mulher como chefe no trabalho.
Este tipo de reação pode afetar gravemente uma relação, levando o outro parceiro a sentir-se constantemente pisando em ovos para evitar uma crise de ciúme. O parceiro ciumento, muitas vezes ciente de seu problema, oscila entre sentimentos de culpa e auto-justificação.

O ciúme patológico é visto pela psiquiatria como uma espécie de paranóia (distúrbio mental caracterizado por delírios de perseguição e pelo temor imaginário de a pessoa estar sendo vítima de conspiração). Para o ciumento, a fronteira entre imaginação, fantasia, crença e certeza se torna vaga e imprecisa, as dúvidas podem se transformar em ideias supervalorizadas ou delirantes
Quem sente ciúme a esse nível tem a compulsão de verificar constantemente as suas dúvidas, a ponto de se dedicar exclusivamente a invadir a privacidade e tolher a liberdade do parceiro: abre correspondências, bisbilhota o computador, ouve telefonemas, examina bolsos, chega a seguir o parceiro ou contrata alguém para fazê-lo. Toda essa tentativa de aliviar sentimentos, além de reconhecidamente ridícula até pelo próprio ciumento, não ameniza o mal estar da dúvida, até o intensifica.

Fonte: Wikipedia.


O ciúme que quero discutir aqui hoje é o ciúme do passado. Acredito que todo mundo já sentiu ciúmes de uma ex... de uma história bonita que sua parceira teve no passado... das pessoas com quem sua parceira já esteve. Eu admito... sou ciumenta.

Mas não sou ciumenta exagerada nem patológica... acho até gostoso quando alguém acha minha namorada bonita. Mas se tem uma coisa que eu realmente tenho ciúme... é do passado.
Não deveria.... afinal, é passado... já foi... já acabou. Mas tenho... infelizmente. E admito... é por pura falta de confiança em mim mesma... porque o meu desejo é de ser especial e única na vida de quem amo... e saber que houve alguém ou "alguéns" que tiveram o amor de quem amo... nossa...
Não é um ciúme racional... afinal, não é uma ameaça real de perda da pessoa amada... é um ciúme de exclusividade... puro egoísmo. Chega a ser um ciúme narcisista... afinal, eu quero ser a pessoa mais importante da vida da minha amada... isso é muito egoísmo.

Mas... qual ser humano não é egoísta? Por mais generosos, caridosos, solidários que somos... também somos esgoístas.

Estava lendo a história da monogâmia esses dias... em um livro sobre comportamento grupal (Psicologia)... e, basicamente, a monogamia surgiu como uma forma de identificar seus herdeiros para ter com quem deixar a sua herança... afinal, todo mundo sabe quem é a mãe, mas saber quem é o pai, só com o teste de paternidade... e como na Grécia antiga ainda não existiam laboratórios rs... a forma encontrada foi: vamos parar todo mundo de putaria! Chega desse negócio de uma mulher ter vários homens e um homem ter várias mulheres (bom... do homem ter várias mulheres, ainda existe em algumas culturas... mas como disse, saber quem é a mãe é fácil!). Dessa forma, surgiu o casamento monogâmico, assim o homem "sabia" que aquele filho era seu e deixa seus bens para ele.

Mas, sinceramente... acho que a monogâmia surgiu mesmo porque queremos ser únicos na vida de quem amamos, de quem escolhemos para ficar ao nosso lado... e porque, lógico... somos egoístas e não queremos dividir nossas mulheres com ninguém!! ^^

E digo mais... odeio sentir ciúmes!!! Fico irritada, de mau humor mesmo quando estou com ciúmes!!! Fico amuada... não sou do tipo de faço escândalo, brigo, nem nada.